Vida Social  

Cultura e lazer

Grupo Meninas de Sinhá mantém canal no Youtube

Grupo Meninas de Sinhá mantém canal no Youtube

Reconhecido nacionalmente pela riqueza cultural, o grupo formado por mulheres do Alto vera Cruz, em Belo Horizonte, é parceiro da Rede Longevidade.

O canal no Youtube do Grupo Meninas de Sinhá tem feito sucesso nessa quarentena. São dezenas de vídeos com oficinas de artesanato, cantos, voz e violão, percussão e tantos outros temas. No canal, você também pode assistir a depoimentos das beneficiárias do programa e conferir algumas apresentações artísticas. 

O Grupo Meninas de Sinhá é formado por mulheres do bairro Alto Vera Cruz, bastante conhecido por sua cultura e seu compromisso social na periferia de Belo Horizonte (MG). Foi  idealizado por Dona Valdete Cordeiro, que se preocupava com a autoestima de suas vizinhas usuárias de fortes medicamentos para depressão. Assim, Meninas de Sinhá, vem do desejo de compartilhar experiências e elevar a autoestima, sendo, atualmente, referência nacional, quando o assunto é transformação social por meio da cultura. 

E a Rede Longevidade tem a honra de ser parceria do Grupo Meninas de Sinhá, por meio do projeto Inspira. Semanalmente, a equipe da Rede promove encontros, agora de forma virtual, para oferecer atividades para as mulheres do grupo. A foto desta matéria foi registrada antes da pandemia do Coronavírus e pelos sorrisos é fácil perceber como nossos momentos de troca a aprendizados fazem bem a todas. 

Confira dicas de filmes para os 60+

Confira dicas de filmes para os 60+

São vários títulos para você. Da comédia ao drama, do romântico ao existencial, basta escolher seu preferido e aproveitar.

O mundo mudou e a forma de viver e enxergar a velhice também. Se antigamente as pessoas idosas eram retratadas nos filmes com uma imagem geralmente associada à fragilidade, hoje em dia temos múltiplos exemplos que mostram a diversidade entre pessoas da mesma faixa etária. 

Assistir filmes, além de ser uma forma gostosa de se divertir e relaxar, também é uma possibilidade de abrir a cabeça e ampliar nosso olhar! É possível reconhecer nas histórias dos personagens formas variadas de ser e de se relacionar, inclusive histórias que podem ser parecidas com a sua. 

Separamos algumas dicas de filmes que trazem o tema da Longevidade. As sinopses são do site Adoro Cinema. Aproveite!

  • Viver duas vezes (2019). Viver Duas Vezes se passa em uma cidade de Valência, leste da Espanha, acompanhando um professor acadêmico aposentado e viúvo há cinco anos, chamado Emílio. Tudo estava indo bem na sua rotina de comer no mesmo bar e resolver quadrados mágicos como forma de passatempo, até que um dia ele se confundiu a ruas na volta para casa. Em seu exame médico de rotina, ele é diagnosticado com o primeiro estágio da doença de Alzheimer e, ao sair do local, acaba encontrando com Julia, sua filha abandonada, que trabalha como comercial médica. Ao perceber a doença, Julia convida Emílio para um almoço em família nada funcional. A partir dessa conversa em família, Emílio decide aproveitar seus últimos momentos de memória para reencontrar seu amor do passado;
  • Um senhor Estagiário (2015). Jules Ostin (Anne Hathaway) é a criadora de um bem-sucedido site de venda de roupas que, apesar de ter apenas 18 meses, já tem mais de duas centenas de funcionários. Ela leva uma vida bastante atarefada, devido às exigências do cargo e ao fato de gostar de manter contato com o público. Quando sua empresa inicia um projeto de contratar idosos como estagiários, em uma tentativa de colocá-los de volta à ativa, cabe a ela trabalhar com o viúvo Ben Whittaker (Robert De Niro). Aos 70 anos, Ben leva uma vida monótona e vê o estágio como uma oportunidade de se reinventar. Por mais que enfrente o inevitável choque de gerações, logo ele conquista os colegas de trabalho e se aproxima cada vez mais de Jules, que passa a vê-lo como um amigo;
  • Dois papas (2019). Buenos Aires, 2012. O cardeal argentino Jorge Bergoglio (Jonathan Pryce) está decidido a pedir sua aposentadoria, devido a divergências sobre a forma como o papa Bento XVI (Anthony Hopkins) tem conduzido a Igreja. Com a passagem já comprada para Roma, ele é surpreendido com o convite do próprio papa para visitá-lo. Ao chegar, eles iniciam uma longa conversa onde debatem não só os rumos do catolicismo, mas também afeições e peculiaridades da personalidade de cada um;
  • Minha obra prima (2018). Renzo Nervi (Luis Brandoni) já foi um pintor bem-sucedido em Buenos Aires, mas hoje não consegue vender um único quadro. Seu amigo Arturo Silva (Guillermo Francella), negociante de obras de arte, faz o possível para valorizar os quadros de Nervi, porém a personalidade arrogante do artista não ajuda nos negócios. Um dia, um acidente inesperado proporciona aos dois uma possibilidade inédita (e ilegal) de ganharem dinheiro dentro do corrupto mercado de obras de arte;
  • O Exótico Hotel Marigold (2011). Os aposentados Muriel (Maggie Smith), Douglas (Bill Nighy), Evelyn (Judi Dench), Graham (Tom Wilkinson) e mais três amigos decidem curtir a aposentadoria em lugar diferente e o destino é a Índia. Encantados com o exotismo do local e com imagens do recém restaurado Hotel Marigold, a trupe parte para lá sem pestanejar e são recebidos pelo jovem sonhador Sonny (Dev Patel). O único detalhe é que nada era muito bem como parecia ser, mas as experiências que eles irão viver mudarão para sempre o futuro de todos;
  • Antes de partir (2007). Carter Chambers (Morgan Freeman) é um homem casado, que há 46 anos trabalha como mecânico. Submetido a um tratamento experimental para combater o câncer, ele se sente mal no trabalho e com isso é internado em um hospital. Logo passa a ter como companheiro de quarto Edward Cole (Jack Nicholson), um rico empresário que é dono do próprio hospital. Edward deseja ter um quarto só para si mas, como sempre pregou que em seus hospitais todo quarto precisa ter dois leitos para que seja viável financeiramente, não pode ter seu desejo atendido pois isto afetaria a imagem de seus negócios. Edward também está com câncer e, após ser operado, descobre que tem poucos meses de vida. O mesmo acontece com Carter, que decide escrever a “lista da bota”, algo que seu professor de filosofia na faculdade passou como trabalho muitas décadas atrás. A lista consiste em desejos que Carter deseja realizar antes de morrer. Ao tomar conhecimento dela Edward propõe que eles a realizem, o que faz com que ambos viagem pelo mundo para aproveitar seus últimos meses de vida;
  • Uma lição de vida (2014). Kimani Maruge, de 84 anos, tem o sonho de aprender a ler e escrever. Durante a juventude, o queniano lutou pela independência do Quênia e nunca pôde estudar. Para conseguir uma vaga na escola primária, tem que se juntar às crianças de seis anos de idade. A história de Kimani é baseada em fatos reais.

Outras opções: 

  • Nebraska (2013);
  • Cidadão Ilustre (2016);
  • Candelária (2017);
  • Amor (2013);
  • E se vivêssemos todos juntos? (2012).
Bate-papo sobre longevidade e leitura

Bate-papo sobre longevidade e leitura

A Bienal Mineira do Livro, em parceria com a Rede Longevidade, fará hoje, 30/07, um bate-papo no Instagram entre a Diretora Executiva da Rede Longevidade, Michelle Queiroz, e a médica geriatra Dra. Karla Giacomin. O bate-papo faz parte da programação de lives e debates promovidos pela edição Bienal Mineira do Livro na Sua Casa, e pode ser visto no Instagram @bienalmineiradolivro. 

O objetivo da conversa é trazer um pouco dos desafios da Longevidade e as possibilidades da leitura como fonte de conhecimento e inspiração!

Para te inspirar a participar do evento, separamos algumas sugestões de leitura para vocês:

  • Prólogo, ato, epílogo – Fernanda Montenegro (Ed. Companhia das Letras)
  • A elegância do agora – Constanza Pascolato (Ed. Tordesilhas)
  • João de A a Z – João Carlos Martins (Ed. Sextante)
  • A Bela Velhice – Mirian Goldberg (Ed. Record)
  • Velhos são os outros – Andrea Pachá (Ed. Intrínseca)
Confira as dicas de cultura e lazer do nosso blog para esse mês

Confira as dicas de cultura e lazer do nosso blog para esse mês

Ouvir música, ler, dançar ou assistir a um espetáculo virtual são interações que trazem alegria para o corpo e alma dos 60+. São muitas as possibilidades, escolha a que mais combina com você.

No contexto da Covid-19, com o desafio do isolamento social, atividades de lazer e cultura podem e devem fazer parte da rotina dos 60+. A tecnologia fortalece a possibilidade de diversas atividades que podem compor uma rotina de entretenimento, conhecimento e satisfação. 

As opções são múltiplas, tanto no campo individual, como assistir a um dos vários shows quase diários, quanto coletivamente, por meio de jogos à distância com amigos ou familiares. 

Você sabia que a música pode melhorar nossa atividade motora, memória e linguagem? Segundo Eliseth Leão, pesquisadora do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, isso é possível! Aqui no nosso blog você pode encontrar algumas playlists de música para se divertir.

O SESC-MG, parceiro da Rede Longevidade em conteúdos sobre lazer e cultura, também tem articulado várias alternativas interessantes em seu canal do Youtube que você pode conferir.  

Para quem gosta de teatro, a Pólobh, em parceria com o Instituto Unimed-BH e várias empresas, estão promovendo espetáculos encenados ao vivo do Teatro Claro Rio, e transmitidos online e gratuitamente no canal mencionado. Confira a programação de julho:

  • “E foram, quase felizes para sempre”, com Heloísa Perissé – 11/07, às 20h30;
  • “Não sou feliz, mas tenho marido”, com Zezé Polessa – 25/07, às 20h30.
Dicas para comemorar festa junina em casa

Dicas para comemorar festa junina em casa

As datas comemorativas são muito importantes não só pela celebração em si, mas também porque ajudam a nos orientar no tempo. 

Por exemplo: sabemos que o Carnaval está no verão, no início do ano; as festividades de São João  no outono-inverno, no meio do ano; Dia das Crianças e Dia Internacional da Pessoa Idosa em outubro, na época da primavera e Natal novamente no verão, fechando o ano. 

Tradicionalmente, as festas juninas são comemoradas nas ruas ou em locais com bastante gente, decoração colorida, fogueira e muitas comidas típicas. Mas, no contexto da pandemia em que é preciso fazer isolamento social, será que é possível fazer festa junina em casa?

Para não deixar passar em branco essa comemoração tradicional, seguem algumas dicas:

  • Preparar comidas típicas:  fazer bolo de milho, canjica, pé-de-moleque, caldos e outras comidas que você gosta e pode comer são uma boa forma de se conectar com o momento. Você pode utilizar receitas tradicionais de família, aproveitar para trocar receitas com amigos ou procurar na internet. Dá até para montar um caderno de receitas juninas para compartilhar com outras pessoas! Para quem mora sozinho, várias lojas e restaurantes estão vendendo kits juninos para entrega em casa, você pode pesquisar no Instagram e Facebook.
  • Ouvir músicas tradicionais de festas juninas: o forró e as quadrilhas podem trazer boas lembranças e diversão! Aproveite para dançar bastante e contar para outras pessoas sobre suas lembranças que remetem à essa época do ano.
  • Decorar a casa: você pode fazer bandeirinhas com jornal, revista, barbante e outros materiais para decorar sua casa e aproveitar o momento. Se morar com outras pessoas, é uma forma divertida de envolver a todos no clima da celebração.
  • Assistir e participar de festas juninas online: muitos artistas estão fazendo lives juninas, um tipo de show que é transmitido ao vivo pela internet. Elas são divulgadas nos próprios canais de comunicação desses artistas. Algumas instituições, como igrejas, escolas, centros culturais e grupo de convivência estão realizando festas juninas online, em que os participantes entram cada um da sua casa e aproveitam para conversar e se divertir. 

Não deixe de se cuidar e manter a alegria, mesmo nesses tempos difíceis! Planejar e preparar uma celebração é uma forma de manter corpo e mente ativos!

Músicas nacionais e internacionais dos anos 50 e 60

Músicas nacionais e internacionais dos anos 50 e 60

A música tem poder tão transformador, que nem sempre nos damos conta das emoções que sentimos ao ouvir o trecho de uma canção ou apenas a melodia. É fácil, ao escutar uma música, sorrir ou chorar espontaneamente ou lembrar de lugares e situações que passamos ao longo da vida. 

E para te inspirar, ativar sua memória afetiva e proporcionar momentos de descontração e lazer, a Rede 60+ vai compartilhar algumas playlists com músicas dos anos 50 e 60. E não se assuste que playlist nada mais do que uma lista de reprodução de músicas reunidas num aplicativo, como Youtube ou Spotify, por exemplo. E você pode baixá-los gratuitamente no seu celular. Divirta-se, dance e aproveite muito.

Orquestra em casa

Orquestra em casa

Escutar boa música faz bem para o coração e para a mente! Nem todas as pessoas têm o hábito de escutar músicas clássicas, mas nessa quarentena essa é uma excelente oportunidade de entrar em contato com esse universo. 

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, por meio do seu canal no youtube, está disponibilizando vários conteúdos gratuitos para todos acessarem. Além dos incríveis concertos, você pode assistir vídeos sobre o funcionamento da orquestra e sobre a sala Minas Gerais.

Galeria de artes no Google

Galeria de artes no Google

Nesse contexto de isolamento social não temos a possibilidade de visitar museus e exposições de artes, mas podemos fazer passeios virtuais por galerias do mundo todo sem sair de casa. Veja que interessante essa ferramenta do Google! 

Nela você escolhe uma cor existente na parte superior da tela e aparece uma coleção de quadros onde predomina a cor escolhida. 

Para saber o nome do quadro, nome do pintor, ano e coleção ou museu a que pertence, é só clicar na imagem que ela será ampliada na sua tela com essas informações.

Livros gratuitos – Bienal Mineira do livro

Livros gratuitos – Bienal Mineira do livro

A Bienal Mineira do Livro na Sua Casa é uma boa oportunidade para esse momento, em que as pessoas precisam ficar em casa para se proteger. E para continuar estimulando a leitura, a Bienal fez uma parceria com o programa Eu Faço Cultura, para oferecer vale-livros, em que os beneficiários se cadastram e, se elegíveis, recebem, GRATUITAMENTE, livros dos expositores da Bienal em suas casas. Caso você seja uma pessoa com deficiência, integrante de programas sociais, idoso, microempreendedor ou gestor de entidade beneficente, poderá resgatar livros na plataforma digital da Bienal. 

Veja como é simples: 

1 – Se você se enquadra em algum perfil de beneficiário, acesse o site abaixo e faça seu cadastro ou login (caso já seja cadastrado);

2 – Selecione o produto Bienal Mineira do Livro na Sua Casa e resgate o seu cupom. 

3 – Depois, é só retornar ao site da Bienal, digitar o código do cupom e resgatar seu livro. Ele será entregue na Sua Casa.

Aula de teatro online, quais os benefícios?

Aula de teatro online, quais os benefícios?

Diante do contexto da Pandemia, o professor Elton Victor resolveu levar as aulas de teatro para o Youtube, com o intuito de se manter próximo aos seus antigos alunos e dos novos. O objetivo das aulas é contribuir com atividades que promovam mais atenção, concentração, foco, criatividade e, principalmente, bem-estar. Você pode acompanhar gratuitamente pelo canal no Youtube as aulas semanais, que têm duração de 20 a 30 minutos.

Mais informações no e-mail t3rceiroato@gmail.com e no link abaixo.