Vida Inova

Mais desafios, estímulos e novidades para os 60+.

Inspiração e novas possibilidades para se manter ativo durante a pandemia. Incentivo ao aprendizado e inovação.

Conheça o Projeto Velhas Histórias – Aproximando gerações através da Tecnologia

Conheça o Projeto Velhas Histórias – Aproximando gerações através da Tecnologia

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) de 2017 realizada pelo IBGE mostrou que os 60+ estão cada vez mais conectados à internet. No entanto, muitos maduros ainda tem dificuldades para mexer em seus celulares, tablets e computadores.

O projeto Velhas Histórias se propõe a apoiar os maduros nesse processo. A iniciativa surgiu pelo desejo de contar as histórias dos 60+, pessoas que já ensinaram e ainda ensinam muito sobre a vida. A partir de aulas sobre o uso da tecnologia, a professora Jéssica Ribeiro, idealizadora do projeto, permite não apenas a inclusão digital das pessoas idosas, mas fortalece a conexão entre gerações diferentes, permitindo melhoria da comunicação entre pessoas de diversas idades. O objetivo é que os maduros se sintam mais seguros e autônomos para operar seus aparelhos, adquirindo independência tecnológica. 

A premissa do projeto é de que a tecnologia deve estar a serviço das pessoas, possibilitando a aproximação e o contato entre maduros e outras gerações.

Serviços e produtos para os 60+ – Você se sente representado?

Serviços e produtos para os 60+ – Você se sente representado?

Empresas precisam abandonar antigos estereótipos para dialogar de forma verdadeira e construtiva com as pessoas idosas.

Você sabia que muitos maduros acham que o mercado não tem produtos e serviços específicos para eles? Muitos não se sentem representados, alegando que as empresas ainda estão focadas naquela ideia da pessoa idosa que consome só vitaminas e remédios?

A falta de leitura do mercado quanto às novas necessidades dos maduros evidencia o que já sabíamos, as empresas nem sempre enxergam essas pessoas como potenciais consumidores, que podem ser fidelizados e se tornarem embaixadores de marcas, desde que o produto ou serviço seja realmente de qualidade. Sim, é um público exigente. 

Dados que comprovam isso estão na pesquisa Mais Idade, realizada pela TV Globo. O mapeamento é bem amplo e incluiu desejos e interesses dos 60+. É um bom estudo para empresas que queiram entrar nesse mercado para oferecer um produto ou serviço que tenha relação com que as pessoas idosas buscam. Uma ajuda e tanto, afinal, que empresa não gostaria de saber o interesse do seu consumidor?

Conheça alguns dados interessantes da pesquisa:

  • 52% dos entrevistados sentem dificuldades em encontrar produtos e serviços que atendam realmente suas necessidades;
  • 72% dizem que as lojas não estão preparadas para lidar com longevidade. Vale para acessibilidade dos espaços, atendimento, qualidade, fidelização, etc..
  • 56% das pessoas entrevistadas buscam por vestuários, calçados e acessórios com que se sintam bem e não se acham representados pelos produtos que estão nas lojas;
  • 36% busca serviços específicos de turismo;
  • 27% buscam por produtos de beleza e higiene pessoal;
  • 22% por cursos de línguas e idiomas. 

E por mais que esse público maduro queira consumir e muitos têm recursos para isso, fato é que há uma insatisfação em relação ao que o mercado disponibiliza e também quanto à forma como as pessoas idosas são tratadas na própria publicidade, muitas vezes reforçando antigos estereótipos ou com uma representação que não corresponde à realidade. 

Em termos de oportunidade, a pesquisa deixa claro que empresas que se dispuserem a entender as necessidades das pessoas idosas e a revolução da longevidade no Brasil e no mundo têm grandes chances de sucesso num nicho de mercado pouco explorado. 

A pesquisa foi produzida com informações de outras organizações, como Hype60+ e dados da Casa Semio, Instituto Locomotiva, IBGE/PNAD, Kantar IBOPE, Officina Sophia, SPC & CNDL, Oldiversity e Fórum da Longevidade ESPM.

Você sabe o que é Lifelong Learning?

Você sabe o que é Lifelong Learning?

O aprendizado constante, variado e ao longo do curso de vida traz autonomia, confiança e mantém o cérebro ativo e saudável.

No contexto atual, os costumes, processos de trabalho, modelos de produção e até relações entre as pessoas estão sendo impactados pelo ritmo de mudanças rápidas e muito dinâmicas. Para se adequar neste mundo em constante transformação, é necessário desenvolver a capacidade de aprender constantemente, até o fim da vida. 

A crença da maioria das pessoas de que a aprendizagem só é efetiva quando associada a uma educação formal tem sido questionada nos últimos anos.

De um modo geral, é verdade que a educação formal e as qualificações resultantes dessa prática são importantes e ainda valorizadas – ela pode maximizar o potencial de uma pessoa encontrar empregos melhores, oferecer estabilidade financeira e sucesso na carreira escolhida. Mas, de acordo com Ana Maria Diniz, uma das fundadoras do movimento Todos Pela Educação, educar uma pessoa desde pequena, e por apenas parte da vida dela, para que a mesma exerça uma função específica durante o resto a sua existência, não faz mais tanto sentido hoje quanto antigamente.

O conceito de lifelong learning – aprendizagem ao longo da vida, em tradução livre -, é o termo que se refere à busca “contínua, voluntária e auto-motivada” pela atualização do conhecimento, seja em âmbito profissional, acadêmico ou pessoal. Segundo a Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), uma instituição que dissemina o conceito ao redor do mundo, a ideia é definida como “um aprendizado que é perseguido durante a vida: um aprendizado que é flexível, diverso e disponível em diferentes tempos e lugares. O lifelong learning cruza setores, promovendo aprendizado além da escola tradicional e ao longo da vida adulta”.

“O conceito de educação ao longo da vida é a chave que abre as portas do século XXI. Ele elimina a distinção tradicional entre educação formal inicial e educação permanente”, afirma Jacques Delors, no relatório “Educação: um tesouro a descobrir” , da Unesco.

Quatro pilares do Lifelong Learning:

  1. Aprender a conhecer; 
  2. Aprender a fazer;
  3. Aprender a conviver;
  4. Aprender a ser.

Manter-se estudando e aprendendo, independente da idade, traz inúmeros benefícios para a vida. Além de maior capacidade para se adaptar em contextos diversos, pessoas que cultivam o aprendizado desenvolvem habilidades importantes para se sentirem mais autônomas e felizes consigo mesmas.

Para saber mais, acesse o vídeo do professor professor e historiador Leandro Karnal sobre Mentalidade de Desenvolvimento Contínuo.  

Mercado de trabalho volta a valorizar os mais experientes

Mercado de trabalho volta a valorizar os mais experientes

Empresas e a própria sociedade, aos poucos, estão percebendo que a convivência entre diferentes gerações pode trazer empatia e ganhos de eficiência.

O Blog Rede 60+ já abordou o tema do ageismo, que é o preconceito com uma pessoa em função da sua faixa etária. Essa realidade se aplica ao cotidiano e relações de trabalho, que já há algumas décadas começou a privilegiar os mais jovens em detrimento dos mais experientes. Essa predileção foi fundamentada na ideia de que apenas os mais novos são capazes de inovar ou de serem ágeis. 

Recentemente, o jornal Valor Econômico trouxe um artigo abordando esse tema e as sutis mudanças que já estão ocorrendo. O autor Rafael Souto até cita uma pesquisa feita pelo professor Pierre Azoulay, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), que desconstruiu essa crença por meio de dados reais, demonstrando que 42 anos é a idade média dos fundadores de startups e outros negócios de sucesso nos EUA. 

Fato é que ninguém ganha com ageismo, mesmo porque o jovem de hoje é o maduro de amanhã. A interação entre diferentes faixas etárias, seja no mercado de trabalho ou mesmo nas relações de amizade ou afetivas, é extremamente rica para ambas as partes em função da troca de experiências, vivências e expectativas. Além disso, a sociedade tem se mostrado  disposta a combater muitas formas de discriminação, como etnia, religião e gênero e com a idade não será diferente. 

Propositalmente, a escolha da foto desta matéria é do filme “O Estagiário”, estrelado por Anne Hathaway e Robert De Niro. O filme aborda a temática do intergeracionalidade e está disponível no Netflix. 

Vovó das coxinhas: padeira de 91 anos vira influenciadora digital

Vovó das coxinhas: padeira de 91 anos vira influenciadora digital

Do anonimato ao sucesso repentino, Dona Loca tem renda extra com seus quitutes e ainda se mantém ativa.

A padeira Fabíola Maia de Oliveira, de 91 anos, teve sua rotina bastante alterada nos últimos tempos, e não só por causa da pandemia: mesmo não conhecendo muito bem o universo online, se tornou influenciadora digital e tem agradado muitas pessoas que querem conhecer e aproveitar suas quitandas e alegria!

Em fevereiro deste ano, Dona Fabíola, conhecida como Dona Loca, veio de Morro do Pilar, região central de Minas, para morar com a filha em Belo Horizonte, e disse que só tinha uma condição: não ficar parada e continuar a fazer seus quitutes. 

Inicialmente, os negócios não iam muito bem, até que duas netas resolveram dar uma ajuda nas vendas e criaram um perfil no Instagram chamado Coxinha da Vovó Loca e divulgaram em diversas redes sociais. 

Dona Loca está fazendo tanto sucesso que já está com lista de espera para seus produtos!

Confira mais sobre essa história inspiradora e cheia de afeto no link a seguir:

Reinvenção do trabalho e novas perspectivas diante da pandemia

Reinvenção do trabalho e novas perspectivas diante da pandemia

O momento traz muitos desafios e oportunidades para as pessoas que desejam se reinserir no mundo do trabalho. Mas você já parou para analisar sua vida e pensar quais são os seus desafios e oportunidades? 

Para se reposicionar no mercado de trabalho e criar um novo caminho é importante ter um projeto que vai te guiar de maneira mais assertiva em direção aos seus objetivos. 

O programa Reinvente-se traz uma proposta interessante para te ajudar a entender melhor como fazer isso. Você vai assistir a depoimentos de pessoas que procuraram novos estímulos profissionais, não apenas para se manter no mercado, mas principalmente para ter mais propósito em seus afazeres, colocando suas melhores expertises e a sólida experiência a favor delas mesmas e da sociedade.

Como os apps de finanças te ajudam a controlar seu dinheiro

Como os apps de finanças te ajudam a controlar seu dinheiro

Olhar para suas finanças não é uma tarefa fácil. Porém, mais do que nunca, é necessário cuidar do dinheiro que você recebe porque estamos em meio a uma pandemia mundial, em que o cenário econômico, político e social é muito incerto. 

O cuidado com o seu dinheiro vai fazer com que você tenha uma noção real dos seus gastos. Afinal, quem nunca foi surpreendido com falta de recursos antes do mês acabar ou mesmo com o valor da fatura do cartão? Conhecer a forma como você utiliza seu dinheiro é o primeiro passo para evitar surpresas desagradáveis.

E como controlar melhor seu dinheiro?

Existem muitas formas, das mais tradicionais aos aplicativos de finanças. Algumas pessoas ainda registram seus gastos em cadernetas, anotando as entradas e saídas de dinheiro e os tipos de despesas. Outros preferem os aplicativos, que de forma simples e intuitiva cumprem o mesmo papel das cadernetas e ainda te fornecem informações mais detalhadas.

Os apps te ajudam a ter uma visão completa e abrangente de como é seu comportamento financeiro. Você consegue perceber quanto do seu dinheiro é destinado aos gastos fixos, como plano de saúde, aluguel, luz, água e telefone e quanto é direcionado para gastos variáveis, como lazer, alimentação, entre outros. Esse retrato das suas finanças te permite planejar de forma mais assertiva os gastos, de acordo com suas prioridades. 

Independente da forma como você controla suas finanças, se da forma analógica ou digital, o mais importante é que você tenha a disciplina para registrar todos os créditos e débitos, caso contrário, o resultado final não irá traduzir o seu comportamento financeiro e isso te impedirá de tomar medidas necessárias para melhorar a forma como você gasta seu dinheiro. 

Conheça alguns aplicativos para gerir suas finanças.

Fundador da Embraer dá aulas sobre empreendedorismo e trabalho em equipe

Fundador da Embraer dá aulas sobre empreendedorismo e trabalho em equipe

O fundador e primeiro presidente da Embraer, Ozires Silva, de 89 anos, lançou nessa quarentena um projeto chamado “Voo do Empreendedor”. Trata-se de uma série de videoaulas gratuitas sobre os caminhos do empreendedorismo, organizado em 4 módulos: Plano de Voo, Decolagem, Voo de Cruzeiro e Pouso.Cada módulo será lançado semanalmente e remete à jornada do empreendedor. 

Os vídeos trazem a visão profissional de Ozires e dicas de empreendedorismo, além de lições sobre inovação e a importância dos riscos, networking e confiança para os negócios.

“Por isso, as aulas servem tanto para quem está começando, quanto para quem já está estabelecido. São dicas de perseverança, otimismo e trabalho junto à família. É a experiência de uma vida dedicada ao empreendedorismo e à educação”, explica Neide Pereira Pinto, presidente executiva do Invoz, site onde você encontra as videoaulas.

MaturiFest – Festival de trabalho e empreendedorismo 50+

MaturiFest – Festival de trabalho e empreendedorismo 50+

Boa notícia nós sempre compartilhamos. De 06 a 09 de Julho, acontecerá o maior evento de trabalho e empreendedorismo 50+ no Brasil: o MaturiFest.  O festival, que será totalmente online e gratuito, terá uma programação ampla com mais de 24h de conteúdos, 12 salas de networking para as pessoas se conhecerem e realizarem contatos e cerca de 50 palestrantes, como o gerontólogo brasileiro Alexandre Kalache. 

De acordo com Morris Litvak, CEO da Maturi, organização responsável pelo evento, a realização no formato digital desmistifica um dos desafios mais enfrentados pelos profissionais maduros – a conexão digital.  “Os maduros entraram de cabeça no mundo digital para realizar suas atividades sociais e profissionais online. Estão desmistificando um dos principais vieses que ouvimos diariamente quando conversamos com empresas sobre o “por quê” da não-inclusão do profissional maduro nos processos seletivos. Estão ávidos pelo letramento digital, muitos já possuem produtos digitais, alguns trabalham como influencers e outros estão cheios de ideias”, conta Morris.

As trilhas de conteúdos do evento passam por temas como o trabalho do futuro, reinvenção profissional, transformação de carreira e vida, jornada do empreendedorismo maduro, trabalho autônomo, tecnologia, marketing e presença digital. “Hoje fala-se muito do trabalho além do emprego: trabalho autônomo, freelancer, empreendedorismo individual, economia compartilhada e colaborativa. A proposta do evento é desbravar todas as possibilidades que os 50+ podem e devem usufruir no mundo do trabalho atual, passando também pelo que vem antes disso como propósito e significado, além de mostrar cases inspiradores”, afirma Morris. 

  • O quê: MaturiFest – Festival de trabalho e empreendedorismo 50+;
  • Quando: 06 a 09 de Julho de 2020;
  • Onde: Online;

Para se inscrever gratuitamente e conhecer melhor a programação, é só acessar o link abaixo:

Canal no youtube ensina os maduros a utilizarem celular e internet

Canal no youtube ensina os maduros a utilizarem celular e internet

Muitos maduros já têm familiaridade com tecnologia e usam aparelhos eletrônicos para se comunicar e trabalhar, mas ainda existem milhares de 60+ que precisam de ajuda para serem inseridos no universo digital. E um canal no Youtube tem feito muito sucesso, justamente porque se propõe a auxiliar essas pessoas. O “Canal do seu neto” traz vídeos simples e didáticos sobre como usar celular, computador, tablets e aplicativos. Veja o que você vai aprender: 

  1. Usar o whatsapp, aplicativo de mensagens;
  1. Redes sociais, como Facebook, Instagram e outras;
  1. Salvar fotos e liberar espaço do celular;
  1. Dicionário de tecnologia com termos mais usados;
  1. Como usar o zoom, aplicativo para conferências virtuais;
  1. Como criar e-mail;
  1. Dicas para usar Youtube;
  1. Manuseio de telefones.

E no canal tem muito mais conteúdo para você se conectar com o mundo.