Voiced by Amazon Polly

As incertezas e ansiedade trazidas pela pandemia do novo coronavírus estão impactando a qualidade do sono das pessoas. Saiba como minimizar esse problema e a importância de uma noite tranquila para sua saúde.

O sono é um processo vital para o nosso organismo e enquanto dormimos o corpo faz a limpeza dos resíduos tóxicos acumulados ao longo do dia. Segundo diversos estudos, dormir bem auxilia no fortalecimento do sistema imunológico – que é muito importante na prevenção de doenças. É preciso uma boa noite de sono para que as células de defesa sejam restauradas.

Porém, devido às preocupações e pensamentos negativos sobre as consequências da Covid-19, muitos brasileiros não estão conseguindo dormir bem a noite. A pandemia aumentou a ansiedade, o medo e as incertezas da maioria das pessoas. 

A importância da rotina para a qualidade do sono

Tínhamos uma rotina a cada 24 horas e abruptamente perdemos nosso ritmo de vida em função do isolamento social e necessidade de ficar em casa. Essa alteração repentina é prejudicial ao nosso organismo porque ele funciona em sincronia e em um ritmo biológico que, quando muito alterado, pode levar à piora do bem-estar físico e mental. Dessa forma, precisamos lembrar que a principal medida para nos mantermos bem durante a pandemia é preservar uma rotina.

Aliado à alteração no ritmo de vida, o distanciamento das relações sociais também impactou nossas vidas. Todas essas alterações resultaram em irregularidades no ato de dormir e acordar. Apesar das mudanças de hábito provocadas pelo isolamento, existem diversas recomendações dadas por especialistas em sono a fim de estabelecer uma rotina diária para que o cérebro tenha a sensação de normalidade. Por isso, é necessário ter regularidade nas atividades diárias e seguir uma agenda, mesmo dentro de casa, para que nosso relógio biológico funcione melhor. 

Seis dicas para melhorar a qualidade do seu sono

  1. Sincronize o seu horário de deitar e, principalmente, o de levantar;
  1. Evite grandes variações nos horários diários de sono. O que nos faz dormir é o tempo acordado. Em média, com 16 horas acordado (vigília) o nosso corpo começa a nos dizer que precisamos dormir. Se acordamos uma da tarde, por exemplo, para completar as 16 horas o corpo só reagirá às 5 da manhã para nos alertar do cansaço. E se cochilarmos durante a tarde, piora mais ainda. Nas 16 horas de vigília, acumulamos um monte de toxinas e lixo que só serão eliminadas durante o sono pelo sistema glinfático – que faz a limpeza do cérebro durante a noite;
  1. Ao acordar, abra as janelas para deixar a claridade entrar e tire o pijama. O cérebro precisa saber que está de dia;.  
  1. Durante o confinamento, a exposição das pessoas ao sol também ficou prejudicada.  Não deixe isso acontecer: tome sol na janela, na varanda ou em local sem aglomeração de pessoas;
  1. Manter o convívio social é importante para a mente e para reduzir as ansiedades e o estresse. Converse com os amigos por chamadas de telefone ou de vídeo. Fale sobre temas diversos e evite falar sobre o Coronavírus. Uma ideia é marcar um lanche com amigos, cada um na sua casa, mas com o telefone ligado no mesmo horário. Uma boa conversa e risadas sempre são bons remédios;
  1. Antes de deitar, anote tudo que te incomoda, todas as tarefas cumpridas e as que precisam ser realizadas. Isso é uma forma de esvaziar os problemas do cérebro.

O sono é uma entrega do organismo ao bem-estar. Por isso, uma recomendação é assistir aos noticiários na parte da manhã e não à noite porque o excesso de informação pode aumentar a sensação de medo e ansiedade e atrapalhar o sono. Estamos vivendo um momento de inseguranças e precisamos estar bem. Todo ser vivo necessita dormir, então, priorize a qualidade do seu sono. Sabemos que é difícil, mas você consegue.

Por Carla Sena